quinta-feira, 29 de julho de 2021

Vaga para Técnico de Aprovisionamento

Vaga para Técnico de Aprovisionamento

Descrição da Vaga

O Secretariado Executivo do Conselho Nacional de Combate ao SIDA (SE-CNCS) no âmbito do desenvolvimento de actividades da Resposta Nacional ao HIV e SIDA pretende recrutar um (1) Técnico de Aprovisionamento para Maputo.

Objectivo Geral:

  • O técnico de aprovisionamento coordena e desenvolve parcerias dentro do Governo, organizações não-governamentais (ONG), da sociedade civil e sector privado para garantir que quantidades suficientes de preservativos estejam disponíveis e acessíveis às populações prioritárias de acordo com a estratégia nacional do preservativo (ENP);
  • O técnico de aprovisionamento reporta ao Técnico de Gestão do Preservativo.

Principais funções e responsabilidades:

  • Liderar/participar no processo de quantificação das necessidades totais do preservativo, por formas a garantir que estas sejam baseadas em evidências disponíveis.
  • A quantificação será feita utilizando a ferramenta de estimativa de recursos e necessidades do preservativo do Programa Conjunto das Nações Unidas para o SIDA (ONUSIDA) e, por sua vez, informar à aquisição do preservativo para responder ao consumo realístico projectado e considerar a contribuição dos sectores de marketing social e privado;
  • Garantir, em coordenação com Project Last Mile (PLM) e a Central de Medicamentos e Artigos Médicos (CMAM), que o preservativo esteja disponível até ao último beneficiário” possa servir para evidencia a necessidade de se trabalhar com estes actores;
  • Desenvolver, divulgar e monitorar a implementação de procedimentos operacionais padronizados que orientam a distribuição do preservativo fora das unidades sanitárias, bem como a promoção do mesmo, direccionada às populações prioritárias;
  • Apoiar aos Conselhos Provinciais de Combate ao SIDA (CPCS), Direcções Provinciais da Saúde (DPS), Conselhos Distritais de Combate ao SIDA (CDCS), Serviços Distritais da Saúde, Mulher e Acção Social (SDSMAS) para projectarem e implementarem estratégias que permitam realçar o papel do preservativo de distribuição gratuita e garantir que este esteja disponível “quando e onde” as populações prioritárias o necessitem e nas quantidades desejadas;
  • Apoiar os prestadores de serviços comunitários e os agentes polivalentes elementares (APE) para adoptarem estratégias de integração da distribuição do preservativo com outros serviços disponíveis;
  • Gerir um sistema de informação de gestão, para monitorar a distribuição do preservativo, coordenado pelo CNCS a todos os níveis da cadeia de abastecimento. Este exercício deve ser feito em coordenação com a CMAM;
  • Identificar e interagir com parceiros das organizações não-governamentais (ONG), organizações comunitárias de base (OCB) e sector privado para garantir que no processo de abastecimento e de distribuição do preservativo se alcancem populações prioritárias e áreas rurais;
  • Trabalhar com o departamento de monitoria e avaliação (M&A) para assegurar que as barreiras no acesso ao preservativo são identificadas e monitoradas e, assegurar a avaliação periódica da disponibilidade do preservativo em canais públicos e privados;
  • Colaborar com o MISAU para garantir a aquisição de preservativo de qualidade para atender às necessidades das populações prioritárias e para garantir que a qualidade deste seja monitorada nos pontos de distribuição;
  • Garantir que os sistemas, procedimentos e documentação de gestão de abastecimento estejam em vigor, bem como relatórios regulares e precisos para manter o mais alto nível de integridade, padrões e responsabilidade;
  • Identificar as necessidades de capacitação e capacitar os níveis provincial e distrital, desenvolvendo e implementando materiais de capacitação, ferramentas e documentos técnicos (ou seja, procedimentos operacionais padrão);
  • Organizar reuniões periódicas de divulgação sobre boas práticas e lições aprendidas na gestão da cadeia de abastecimento do preservativo e garantir a uso destas aquando do desenvolvimento/revisão de políticas, estratégias, normas e materiais de formação para a Gestão da cadeia de abastecimento;
  • Realizar outras tarefas operacionais sempre que necessário.

Requisitos:

  • Licenciatura em administração de empresas, administração pública ou áreas afins;
  • Conhecimento especializado na área de aquisições, logística, sistemas de gestão de qualidade e/ou cadeia de abastecimento é desejável;
  • Conhecimento de informática na óptica do utilizador, em particular Excel, exigido em nível intermediário (capaz de usar fórmulas complexas e uso de tabelas dinâmicas) e ser capaz de comunicar por email e plataformas digitais;
  • Experiência comprovada em gestão/operação de armazém;
  • Experiência na utilização de softwares para gestão logística e de armazéns;
  • Experiência em trabalhar com os sectores público, privado e sociedade civil;
  • Conhecimento na área de HIV e SIDA;
  • Excelentes habilidades de comunicação verbal e escrita em português e inglês;
  • Disponibilidade de viajar regularmente às províncias.

Como se candidatar?

As candidaturas deveram ser submetidas no endereço: Conselho Nacional de Combate ao SIDA na AV. 25 de Setembro, Prédio 1008, 8º andar, Baixa da cidade de Maputo, das 9:00 as 14:00.

DATA LIMITE DE CANDIDATURA: 11 de Agosto de 2021.

Marcadores: ,