Vagas Para Técnicos De Medicina Para Cuidados E Tratamento Em TARV

 

Vagas Para Técnicos De Medicina Para Cuidados E Tratamento Em TARV

A Fundação Ariel Glaser contra o SIDA Pediátrico é uma ONG nacional que trabalha em parceria com a Direcção Provincial de Saúde, Serviços Distritais de Saúde da Mulher e Acção Social (SDSMAS) e Hospitais Rurais (HR) nas Províncias de Maputo e Cabo Delgado. Apoia a implementação, acesso e expansão dos Serviços Clínicos de HIV integrados e de qualidade, especificamente o Programa de Saúde Materno Infantil (SMI) /Prevenção de Transmissão Vertical (PTV), Cuidados e tratamento Anti – retroviral (TARV) para Crianças e Adultos e apoio psicossocial através de uma abordagem de Fortalecimento do Sistema Nacional de Saúde. A mesma pretende recrutar candidatos de nacionalidade moçambicana para as vagas seguintes: Técnicos de Medicina para Cuidados e Tratamento em TARV- Baseado na Província de Maputo (Matola C)

Funções
  • Ao Técnico de Medicina Geral, designadamente e em geral as seguintes responsabilidades:
  • Organização dos serviços TARV, arquivos clínicos e integração dos serviços TARV noutros serviços (SMI, TB), vice-versa
  • Garantir a qualidade de preenchimento dos processos clínicos, fichas de seguimento, livros de registo nas consultas integradas e de SMI
  • Garantir a qualidade do seguimento do paciente – diagnóstico correcto, estadiamento da OMS, determinação precoce da elegibilidade ao TARV, início TARV, rastreio da Tuberculose, Tratamento Profiláctico com Isoniazida (TPI) e com Cotrimoxazol (TPC), avaliação nutricional e da adesão, cumprimento das linhas do tratamento em função do diagnóstico e peso, aconselhamento, periodicidade de pedido das análises de controle de CD4, hemograma e bioquímica
Actividades colaborativas TB/HIV
  • Garantir o despiste para o HIV nos pacientes com tuberculose, o início de TARV (90%) e profilaxia com o cotrimoxazol (100%) para os co-infectados TB/HIV, rastreio de TB e quimioprofilaxia com isoniazida para os menores de 5 anos sem sinais/sintomas de TB (na CCR), o início de tratamento para TB em menores com sinais/sintomas de TB e independentemente da forma de tuberculose do contacto. Garantir o rastreio da tuberculose nos pacientes com o HIV, o tratamento profiláctico com isoniazida para os pacientes elegíveis (adultos sem sinais/sintomas de TB nem estadio IV da OMS, lactentes com HIV+ com contacto TB e crianças maiores de 12 meses sem sinais/sintomas de TB independentemente da história de contacto) – 35% dos novos inscritos devem fazer o TPI em 2014
  • ATS: massificação e qualidade na implementação do ATIP (enfermarias/internamento, consultas de medicina e pediatria, otorrinolaringologia, estomatologia, etc.), garantir o registo de dados no livro do ATIP (ATS no Contexto Clínico) de todos os casos referidos para a testagem no UATS (as UATS devem ter também o livro do ATIP). Monitorar a integração nos cuidados e tratamento (consultas TARV) dos utentes positivos, diagnosticados em todos os sectores do ATIP, UATS e ATS-C. Reforçar a ligação com as agências implementadoras do ATS-C (participação nos Comités TARV, partilha das metas, avaliação do consumo e disponibilidade de testes/reagentes rápidos de HIV, referência e integração de pacientes diagnosticados na comunidade, etc.)
  • Visitar o laboratório (verificar os reagentes e consumíveis existentes, prazos de validade dos reagentes, uso racional dos aparelhos e consumíveis, lista de espera para realização dos exames, preenchimento dos livros de registos, verificar se o laboratório calcula regularmente a percentagem de CD4 para as crianças nos sítios onde a maquina de CD4 não o faz automaticamente)
Farmácia
  • Verificar o stock de medicamentos, prazos de validade, conservação e uso racional dos medicamentos e testes, preenchimento do MMIA e FILA, privacidade dos utentes no levantamento dos medicamentos (guichés)
  • Falência terapêutica: discussão de casos clínicos, marcação de datas para colheita e envio de amostras de carga viral, envio de casos á província, organização dos arquivos e relatórios de casos de falência terapêutica
Tutoria clínica
  • Tutora os técnicos da unidade sanitária nos diferentes sectores (CPN, Maternidade, CCR, TB, TARV e enfermaria)
  • É o responsável por garantir a qualidade de preenchimento dos livros de pré-TARV e TARV e resumos mensais da unidade sanitária e o distrito, devendo participar activamente no grupo que elabora o relatório mensal
  • Assegurar a elaboração correcta e atempada dos resumos dos resumos mensais e discussão a nível de cada US e a nível do distrito, incluindo o envio atempado dos dados para a província
  • Elabora os relatórios de tutoria e os submete ao médico chefe. Após a validação, submete os relatórios ao Supervisor Provincial de HIV
  • Assegurar o cumprimento das metas do MISAU a nível de cada clínico, US e distrito
  • Responsável do Arquivo Clínico e das bases de dados electrónicas do Distrito (EPTS)
  • Assegurar a disponibilidade e o preenchimento correcto dos instrumentos de registo e de recolha de informação. Coordena com o Médico Chefe e Director Distrital e o parceiro a reprodução e distribuição de instrumentos de monitoria e avaliação (fichas e livros de registo)
  • Garantir que todos os pacientes pelo menos um CD4 colhido a cada seis meses
  • Elaborar a lista de casos suspeitos de falência terapêutica, coordenar com o laboratório a colheita da carga viral, estudo final e submissão à DPS (sempre em coordenação com o MCD)
  • Limpeza e correcção dos relatórios mensais
  • Análise ao nível distrital do desempenho mensal e trimestral, durante os Comités TARV Distritais, com o envolvimento das US periféricas, para identificação dos pontos positivos, negativos e desafios para o trimestre seguinte
  • Verificar a implementação, qualidade e registos e divulgação da Prevenção e Profilaxia Pôs Exposição (PPE)
  • Verificar se há reporte adequado das reacções adversas aos ARV’s e medicamentos de TIO
  • Distribuição das metas e avaliação mensal da cobertura dos casos de ITSs, por sector, unidade sanitária e distrito
  • Planificar sessões de formação contínua para divulgação da abordagem sindrómica das ITS, algoritmo e medicamentos (avaliar a disponibilidade de medicamentos para as ITS, coordenar com o médico chefe distrital e o ponto focal da farmácia a sua requisição e distribuição)
  • Orientar as ESMI para observação especuloscopia da muher grávida pelo menos uma vez durante a gravidez para avaliação da presença ou não de leucorreias, tratamento adequado das ITS e registo
  • Recolher a informação referente ás ITS em todos os sectores e agregar os dados nos livros e resumos mensais de ITS, prestar atenção ao sector de SMI (o relatório de ITS tem uma componente de despiste de ITS na mulher grávida, que deve ser registada com base nos livros de registo da CPN – primeiras consultas, testados, positivos, utentes e parceiros tratados). Nas outras portas de SMI, que não seja a CPN, o gestor das ITSs deve garantir a recolha mensal de informação
  • Distribuição dos livros e resumos mensais para todas as US distritais, coordenar com o médico chefe distrital e parceiros a reprodução destes instrumentos em caso de ruptura de nível provincial (em condições normais, os instrumentos de monitoria e avaliação das ITS devem ser quantificados, requisitados e recebidos através do economato provincial; em casos excepcionais como a ruptura provincial, este material pode ser adquirido nos distritos com o apoio dos parceiros ou subscordo distrital)
  • Participar do processo de supervisão periódica nos encontros dos grupos, para avaliação da responsabilização existente no grupo e componentes de auto-ajuda
  • Elaborar os resumos mensais dos GAACs, submeter ao médico chefe distrital, PF ITS/HIV e NED
Requisitos
  • Ter experiência como Técnico de Medicina Geral
  • Pelo menos 2 (dois) anos de experiência em programas de cuidados de saúde
  • Experiência de atendimento clínico é obrigatória (diagnóstico, manejo e tratamento de doenças comuns no país)
  • Capacidade organizacional e para escrever e interpretar relatórios
  • Não ter vínculo com o ESTADO
  • Conhecimento de sistemas informáticos e programas (Word, Excel e PP)
  • Fluência em Português.

 

Como se Candidatar

As candidaturas devem ser entregues nos nossos escritórios Sede sito na Av. Agostinho Neto, Nº 620, na Matola sito na Rua da Missão nº 315 e em Pemba na Rua da Base Moçambique, nº 640.

Postagem Anterior Próxima Postagem